A MULHER DE VERMELHO

Ela não saíra ainda e foi dar uma olhada através da janela do apartamento.
Vislumbrou o movimento da rua embaixo, o céu limpo em azul e o prédio defronte.
Neste,na janela logo em frente à sua, uma mulher – usando blusa vermelha – , levantou o braço direito, cuja mão empunhava um revólver e atirou contra a própria cabeça.
Ela que, atônita, vira a cena, colocou uma mão sobre a boca.Confusa quanto ao que fazer, correu porta a fora para o corredor.

Enquanto corria, uma estação noticiava no rádio da sala:
“Menos de uma semana após ter sido acusado de um desfalque milionário aos cofres públicos,no âmbito estadual, o Presidente da chamada Ordem da Honestidade,Sr.”A”,fez prova contundente de sua inocência e reiterou a imputação que fizera da autoria do desfalque à Secretária do Órgão, Maria Rouge, com documentos supostamente assinados por ela.
A prisão preventiva da Secretária já foi decretada, levando-se em conta a gravidade do crime e o número de pessoas que dependiam de suas pensões vinculadas ao Órgão.
Desde o início, a acusada mostrou-se bastante atingida pela acusação, com várias ocorrências de choros compulsivos e descontrolados,bem como cenas de desespero.

Chamou a atenção da mídia,o fato de Maria Rouge, sempre que flagrada pela imprensa, vestir-se de vermelho..”

LIN DE VARGA

 

EIS QUE TRAGO O QUE SABE O NÃO MANIFESTO

O SALTO NO VAZIO

“No livro “Le saut dans le vide” (O salto no vazio), Jose Le Roy faz um estudo sobre a não dualidade dentro de vários filosofos da História.
Em dado momento, refere-se a Fichte, filósofo alemão que viveu entre 1762 e 1814. e o cita, por exemplo nessas afirmativas:
“(…)” O homem não pode criar-se um Deus, mas ele pode por si mesmo, como uma pura negação, aniquilar-se e, então, mergulhar em Deus.”(…)
“No fundamento de toda consciência, acha-se a Consciência imediata( O SER) (…)Tudo aquilo de que somos conscientes, não é a Consciência imediata”.
O que impressiona em tais afirmativas é queo usados aqui dois instrumentos muito comuns a Sri Nisargadatta Maharaj:
Primeiro:Ele se refere bastante à negação daquilo que não somos, verdadeiramente, para o dar-se conta da Consciência, aliás,único caminho para tanto.
Segundo: Coloca “consciência” com “c”minúsculo para a sensação de existir, e “Consciência”, com”C” maiúsculo,para a Consciência pura.
Vejam isso:Pergunta:” Então, como você sabe que está no estado supremo?”
Sri Nisargadatta: Porque estou nele. Ele é o único estado natural.
Pergunta: Você pode descrevê-lo?
Sri Nisargadatta:Só mediante a negação, como sem causa,independente,sem relação, indiviso,sem componentes,inabalável,inalcançavel mediante esforço“(pg.24, “Eu Sou Aquilo”).
Dois homens que viveram sobre a Terra com uma diferença de 150 anos, mais ou menos, e falavam da mesma coisa,infinitamente arraigada neles

LIN DE VARGA

 

EIS QUE TRAGO O QUE SABE O NÃO MANIFESTO

O MUNDO VISTO PELA PRIMEIRA VEZ

 

“C’est ce qu’on expérimente dans la pure vision : le monde est vu pour la première fois, dans une fraicheur joyeuse et dans une pure perception au-delà des mots. C’est comme si un voile se déchirait brutalement pour nous révéler une présence du monde inconnue et silencieuse, comme si tout le Réel acquérait d’un coup une valeur infinie.

C’est la source de l’art des grands artistes, et cette vision est accessible à chacun d’entre nous, maintenant, si nous regardons à partir de l’espace transparent de la conscience et non plus à partir des yeux d’un individu.”

“É isso o que se experimenta na pura visão: O mundo é visto, pela primeira vez, em um frescor alegre e em uma pura percepção além das palavras..É como se um véu fosse rasgado, brutalmente,para nos revelar uma presença do mundo desconhecida e silenciosa, como se todo o real adquirisse de um golpe um valor infinito.

Esta é a raiz da arte dos grandes artistas, e essa visão é acessível a cada um dentre nós, agora, se nós olharmos a partir do espaço transparente da consciência e não mais dos olhos de um indivíduo.”
O texto é de Jose Le Roy,visto acima em francês.

Mantive “consciência” com “c” inicial minúsculo,em obediência à tradução; teria preferido usar “Consciência”, com “C” maiúsculo, ao feitio de Sri Nisargadatta Maharaj.

Esse olhar de que fala JLR, quando você percebe que está vendo de uma forma nova,eu diria com um êxtase de ver diretamente,claramente a presença do mundo, é algo transcendente e belo e só poderá ser proporcionado pelo “olhar da Pura consciência”.

Todos que já expermentaram isso,sabem do que falo; e nunca mais perderão tal percepção maravilhosa.Podem até tê-la embotada em alguns momentos da vida, embriagados de conceitos ou vinho, mas voltarão à ela tão logo regressem à sobriedade.

LIN DE VARGA

EIS QUE TRAGO O QUE SABE O NÃO MANIFESTO

DONALD TRUMP

Todos atacam o Trump.O cara surgiu no cenário e todos o acusam, como se todos os erros dos seres humanos estivessem confinados naquele topete estranho

Gostei de uma declaração do Fernando Gabeira, outro dia, no Roda Viva, da TV Cultura, quando ele diz que todos querem atacar o Trump, mas deviamos estar vendo em que a globalização errou para levá-lo ao poder.E eu digo:À possibilidade de um botão que,pressionado, nos levará ao desaparecimento tão rapidamente como o fará o próximo asteróide que acertar o alvo. 

Como se lavássemos a alma, todos falam mal do cara.Tudo bem.Se é tipo catarse, tem psicanalista lacaniano orientando para o cliente fazer o”corte” no Trump e respirar mais livremente.

Eu acho que ele apareceu como resultado de uma globalização que já não sabe o que fazer com essa imediaticidade, e com imigrantes transbordando de seus países sofridos e tentando romper fronteiras.Talvez por que os terroristas matem indiscriminadamente?. . Contra estes e aqueles subirão muros?A perda do sonho de convivência está posta?Gabeira falou sobre isso.

Um colunista de jornal por aqui chama o cara de “escroto”.Diz que Trump é “escroto”.”Não sei se adianta alguma coisa, ou se não é uma escrotidão.chamar outro ser humano de tal forma.

Tanto aqui como lá, não acredito que nenhum político tenha chegado ao chamado poder, senão por aquiescência nossa, isto é, pelo voto;.quando se fala,é claro, de democracias. Os tiranos chegam à força..

Enquanto há tempo, é melhor olhar fundo dentro, atrás de nossas mentes e sabermos do que, de fato, trata-se nosso viver.Enquanto há tempo, porque o asteróide se aproxima….

LIN DE VARGA

EIS QUE TRAGO O QUE SABE O NÃO MANIFESTO

SEJA NADA

Ouso dizer que é muito difícil o reconhecimento de que nenhum indivíduo existe, mesmo para os grandes Mestres; que sabem disso, todavia.
Percebam que mesmo eles tentam uma certa composição para acordarem a cada dia . Sri Nisargadatta colocava roupas claramente apresentáveis; Osho extrapolava nisso; Ramana , mesmo “despido”, emanava sua luz de certas posições no Ashram. Sempre ressalvando para os que julgam, que as palavras são limitantes e tais mestres estão além de quaisquer apreciações que não essas que se equilibram na borda da vida social.” Você sabe muito bem o quanto a língua não se dá facilmente para a expressão daquilo que está além dos limites da linguagem.”, diria Gilbert Schultz.

A total eliminação do “eu” teria que ser pressuposto de não contato com qualquer outra pessoa. Eles jamais teriam aceito a aproximação dos “ocidentais”. Ora, eliminado, que “eu” precisaria de alguma coisa?

Quando digo isso, sinto-me incomodado, porque o “meu indivíduo” não acha correto concluir tal pensamento, de pessoas que foram transformadas em adoração. Todavia, só posso falar do âmbito da mente”. Quem mais comporia pensamentos? , E, muito provavelmente, eu não estaria vivo se não fossem esses mestres(não só os citados aqui, como exemplo)

Mesmo a decantada ideia de humildade (todos os buscadores a amam), a oferta de sua própria “iluminação” para ajudar os outros, presos ao condicionamento, seria problemática, já que a maior de todas as ajudas, só poderia ser deixar as pessoas à sua sorte, ou seja o esgotamento da ficção da mente por ela própria, e transcender sua completude obliterada.

Muito bem, supondo-se a eliminação do “eu”, todo o conteúdo de conceitos que se impregnaram nos neurônios, e que a emoção transforma em pensamentos, como diria Veetshush OM,o que fica?

Fica esse olhar a vida de uma imensidão, cuja transparência dissolve o corpo, os maravilhosos 180 graus de Douglas Harding, verdadeira alegria sem causa, felicidade suprema de ser na eternidade e a conclusão mais acertada (Desculpem a palavra conclusão, porque, de ordinário, só se conclui na mente), mas vá lá):

A mais preciosa missão, razão única de estar-se aqui, é a de saber-se um lampejo entre todas as galáxias. e a de que se é filho da luz original, porque fora nada pode estar. É só isso. E ainda o presente maravilhoso de deixar-se inundar com toda a manifestação. Vejam só, como eu aprendi com os mestres: Não é isso que eles insistem em nos mostrar, todos, nós mergulhados em condicionamentos.?

“Seja nada”, diria Sri Nisargadata. ”Não há NENHUM indivíduo com qualquer substância ou independência dentro DISSO ou em qualquer outro lugar.”, completaria Gilbert Schultz. O grifo é dele, em seu livro “Tudo é claro e óbvio.

Eu poderia assinar embaixo, mas quem estaria assinando?

LIN DE VARGA